Tigre faz jogo equilibrado com o Santos, mas é derrotado por 1 a 0

São Bernardo perdeu a chance de terminar o sábado na vice-liderança do grupo A do Paulista

Não falta experiência, torcida e tampouco sequência de trabalho no São Bernardo. Mas as lesões desse começo do ano, em especial dos rápidos atacantes Danielzinho e Gil, têm pesado. No fim da tarde deste sábado (14/02), a única equipe do ABCD na Série A-1 do Campeonato Paulista sentiu os desfalques, acabou batida pelo Santos por 1 a 0 no estádio Primeiro de Maio e desperdiçou a chance de dormir na vice-liderança do grupo A, atrás apenas do São Paulo. A realidade do momento é a quarta colocação.

O que chamou a atenção na escalação do Tigre foi a ausência do zagueiro Alex Silva, ex-São Paulo, que treinou a semana toda mas não ficou nem no banco de reservas por opção do técnico Edson Boaro.

O primeiro tempo lembrou uma luta de boxe que termina em empate, tamanho o equilíbrio. O Santos preferiu trabalhar com a posse de bola, enquanto o São Bernardo marcava atrás do meio de campo (com três volantes), saindo em velocidade quando roubava a redonda. Com uma ou outra variação, foi assim que se desenrolou os primeiros 45 minutos – o árbitro não deu acréscimos.

Foram poucas as oportunidades de gols. O Peixe perdeu um gol incrível aos 25 minutos, quando Lucas Lima cruzou e a bola sobrou para Ricardo Oliveira após um desvio. Livre, o atacante chutou para fora. Três minutos depois, o Tigre trocou passes com qualidade e paciência, até o lateral-esquerdo Vicente cruzar e Lucio Flavio cabecear rente à trave. Quase.

O São Bernardo era mais organizado do que nas outras partidas, jogando mais em bloco – um atleta próximo do outro – e fazendo tramas pelas laterais, porém faltava a velocidade e a infiltração. Aí que Danielzinho e Gil fazem falta.

Na volta para a segunda etapa, o Tigre recuou demais e, após cruzamento da esquerda, o zagueiro David Braz fez o primeiro do Peixe. Rapidamente, Boaro tirou os volantes Daniel Pereira e Carlinhos, lançando o meia Jean e o atacante Vanger.

Nos últimos dez minutos, os anfitriões partiram com tudo para cima do Santos depois da entrada de outro atacante, Maikon, na vaga do talentoso meia Cañete. O jogo ficou aberto. Maikon, aliás, quase empatou de cabeça e Vanger provou que não pode ser reserva. Mas não foi o suficiente.

fonte: jornal Abcd Maior

Deixe uma Resposta

Imagens

Entrar | Desenvolvido por STI Esporte